• ESALQ Food

O QUE SÃO AS PANCs?



As PANCs são plantas alimentícias não convencionais, ou seja: são todas as plantas que não estão em nosso cardápio usualmente. Contudo, isso depende, pois uma planta pode ser PANC para determinado consumidor e pode ser convencional para outro. Por isso, depende! Plantas amazônicas serão não convencionais para um paulista, e convencionais para um morador de Belém ou Manaus (RANIERI,2017).

Além das PANCs, existem as partes alimentícias não convencionais. São as partes comestíveis pouco (ou não) consumidas das plantas convencionais, como raiz, caule, rizoma, folhas, frutos ou até mesmo flores. Um exemplo típico, que a maioria das pessoas não sabem, são as cenouras, um alimento convencional, mas que possui folhas comestíveis, assim como as folhas da batata-doce; do mamão verde e o seu talo; assim como a banana verde e a sua casca, os brotos e flores da abóbora, a jaca verde, as castanhas da jaca etc. (RANIERI,2017).

No entanto, é preciso saber que nem toda PANC é comestível por completo. Algumas só podem ser consumidas cozidas, devido a toxinas que estão presentes e que só são destruídas pelo cozimento; já outras possuem só o fruto comestível, mas a folha ou outra parte tóxica e vice-versa. Por isso é de extrema importância saber qual parte da planta é possível consumir sem riscos.

Ora-pro-nóbis é uma das PANCs mais conhecidas, diz a lenda que se chama assim porque costumava ser plantada em frente às igrejas católicas e na hora das orações as pessoas de baixa classe econômica saiam para pegar as folhas dessa planta e as escondiam dentro na bolsa para complementar sua alimentação. Daí ficou: Orai por nós, que derivou a Ora-pro-nóbis. Essa planta varia de 18 a 25% de proteínas, tem alto poder antioxidante e outros benefícios.

É comum usar as folhas da erva-cidreira para fazer chá, mas ela possui um talo, os colmos (“palmitos”), que, quando novos, podem ser utilizados em sopas, pratos doces, salgados e outros pratos diversificados. A serralha, por exemplo, é considerada um mato, mas pode ser utilizada para uma deliciosa salada, podendo ser consumida também cozida e preparada de várias formas, tendo sabor similar ao espinafre. O dente-de-leão (Taraxacum officinale) cresce espontaneamente em solos agrícolas e terrenos baldios. Suas folhas e flores podem ser consumidas cruas ou cozidas e trata-se de uma ótima fonte de vitamina A (KINUPP, LORENZI, 2014).

A planta onze-horas apresenta uma variedade PANC: Portulaca umbraticola, cujas folhas e talos são comestíveis, podendo ser usados em sopas, recheios de empadas e panquecas; as flores não são comestíveis. A onze-horas ornamental Portulaca grandiflora não deve ser consumida. A principal diferença é que a variedade comestível possui folhas achatadas.

Enfim, o universo das PANCs é muito vasto! Calcula-se que existe mais de 300 espécies. Um dos benefícios do seu cultivo é que a maioria delas possuem alta resistência: aguentam dias sem água e nascem espontaneamente, sem muitas condições exigentes, você pode encontrá-las à beira de estradas e calçadas, provavelmente você já as viu por aí e pensou que fosse apenas algum tipo de mato, mas na verdade era uma PANC. Mas cuidado ao colher desses locais, pois elas podem estar contaminadas. O mais indicado é o consumo direto de hortas urbanas ou de feiras orgânicas, ou mesmo do próprio cultivo em casa.


Atenção: Caso tenha dúvidas na identificação de uma PANC, não consuma. Consulte um especialista.

Fonte : RANIERI (2017)


©Editado por João Gabriel Ruffo Dumbra - Todos os direitos reservados - ESALQFood - ESALQ/USP - 2016

ESALQFood – Grupo de Extensão em desenvolvimentos de produtos e processos agroalimentares. 

Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição - (LAN)

 

Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" (ESALQ). Universidade de São Paulo-Brasil (USP)

Avenida Pádua Dias, 11

Piracicaba/SP

CEP 13418-900

Tel: (19) 3429-4150

esalqfood@gmail.com