©Editado por João Gabriel Ruffo Dumbra - Todos os direitos reservados - ESALQFood - ESALQ/USP - 2016

ESALQFood – Grupo de Extensão em desenvolvimentos de produtos e processos agroalimentares. 

Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição - (LAN)

 

Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" (ESALQ). Universidade de São Paulo-Brasil (USP)

Avenida Pádua Dias, 11

Piracicaba/SP

CEP 13418-900

Tel: (19) 3429-4150

esalqfood@gmail.com

  • ESALQ Food

Dietas restritivas: GLÚTEN

Updated: Dec 4, 2018



Atualmente, muito se tem ouvido falar de dietas glúten-free, além do aumento

do número de produtos isentos de glúten disponíveis no mercado. Entretanto,

poucos consumidores sabem o que realmente esse termo significa nas embalagens

e para quem esses produtos são, de fato, destinados.

O glúten é uma proteína presente em cereais como trigo, cevada, centeio e

aveia (originalmente não tem glúten, mas pode sofrer contaminação durante o

processamento), podendo ser encontrado em diversos produtos alimentícios que

ingerimos todos os dias. Essa proteína é a responsável por conferir elasticidade,

estrutura e aceitação sensorial a massas e produtos de panificação produzidos em

casa ou industrialmente.

As pessoas que possuem sensibilidade ao glúten são portadoras da doença

celíaca e o único tratamento é uma dieta isenta da proteína. Para os celíacos, a

ingestão de alimentos que contenham glúten ocasiona inflamação no intestino e

pode comprometer todo seu estado nutricional devido à má absorção de nutrientes,

provocando inchaço e dor abdominal, diarreia ou constipação crônica, vômitos,

emagrecimento e anemia.

A doença pode surgir tanto durante a infância quanto na fase adulta e o

diagnóstico nem sempre é fácil e preciso, de forma que a pessoa pode apresentar

os sintomas por longos períodos até a confirmação da enfermidade.

Os hábitos alimentares desse grupo são muito restritos e, no Brasil, a

Associação dos Celíacos (ACELBRA) é a instituição responsável por solicitar às

indústrias alimentícias que coloquem os termos “CONTÉM GLÚTEN” ou “NÃO

CONTÉM GLÚTEN” nas embalagens como medida preventiva e de controle da

doença.

Recentemente a “moda” de se evitar o consumo de alimentos com glúten por

pessoas não celíacas se deve, principalmente, à crença da rápida perda de peso.

Entretanto, não é a retirada do glúten da alimentação que faz a pessoa emagrecer,

mas sim o fato de não estar consumindo produtos como pães, bolos e doces, os

quais contêm, além do glúten, outros ingredientes calóricos que contribuem para o

aumento de peso, se não consumidos de maneira consciente.


#glutenfree #semgluten #esalqfood #dietas